Os homens e as pressões do mundo

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 1 milhão de pessoas se suicidam todo ano....
admin admin em 11/09/2014


De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 1 milhão de pessoas se suicidam todo ano. Esses números só contam com aqueles que conseguem tirar a própria vida. Os que não conseguem compõem um número ainda maior. Mas note algo estranho: os índices de suicídio parecem acompanhar os melhores indicadores sociais. Em Toronto, no Canadá, uma das cidades com o melhor padrão de vida do planeta, o suicídio é um problema gritante de saúde pública. Lá, orelhões são equipados com botões de emergência para quem está pensando em tirar a própria vida e não tem ninguém pra desabafar. Também não faltam campanhas de prevenção para jovens.

Estatísticas mostram que, em praticamente todos os países, homens cometem suicídio com mais frequência do que as mulheres. Até mesmo em países islâmicos, onde mulheres são tratadas como se fossem seres inferiores. E isso é intrigante, pois são elas que apresentam taxas mais altas de distúrbios mentais, como a depressão. Mas um novo estudo feito pela organização Samaritans chamado Men, Suicide and Society (“Homens, Suicídio e Sociedade”) explica por que certos grupos de homens têm maior propensão a se matar do que mulheres. De acordo com o estudo, há quatro razões pelas quais homens tiram a própria vida. Isso é algo que todo homem deveria ler:

1. FATORES PSICOLÓGICOS

Kurt-Cobain_Becoming-a-Father_HD_768x432-16x9

Alguns traços da personalidade e da mentalidade de cada um podem contribuir para o desenvolvimento de pensamentos suicidas, incluindo a crença de dever sempre atender às expectativas dos outros. Padrões mentais como autocrítica ferrenha, melancolia e depressão crônicas que nunca passam, e nunca permitir-se a ter pensamentos positivos sobre o futuro podem ser fatores perigosos se prolongados, além da baixa capacidade de resolver problemas com os outros. Estes traços podem interagir com outros fatores, como privações e o desencadeamento de eventos como a perda de emprego ou a morte de alguém próximo, que por sua vez podem aumentar o risco de suicídio.

2. MASCULINIDADE E PRESSÕES DA SOCIEDADE

512px-Drill_instructor_at_the_Officer_Candidate_School

Masculinidade: a maneira como os homens são ensinados a se comportar, e os papéis, atributos e comportamentos que a sociedade espera deles. Isso contribui muito para o alto índice de suicídio entre os homens, definitivamente. A pesquisa afirma que homens se comparam uns aos outros para disputar poder, controle e invencibilidade por uma questão de sobrevivência. Quando não acreditamos que não estamos atendendo aos requisitos esperados, sentimos uma profunda sensação de derrota. Embora associada ao controle, quando deprimidos ou em crise, homens podem perder completamente o controle.

3. REJEIÇÃO E FIM DE RELACIONAMENTO

201111-orig-ending-a-relationship-600x411

Dizem que ninguém morre de amor, mas o fim de uma relação leva cada vez mais homens a tirar a própria vida do que as mulheres. Como os parceiros dependem mais do suporte emocional do que suas parceiras, não é surpresa que sofram perdas de forma mais intensa. A honra, e não demonstrar sentimentos, também fazem parte da ideia da masculinidade, pois ser humilhado na frente dos outros pelas ações da parceira (infidelidade ou abandono) pode levar à vergonha ou a reações impulsivas em retaliação. Depois do divórcio, os homens geralmente são separados de seus filhos também, e isso tem um papel significativo em casos de suicídio.

4. VIDA EMOCIONAL, ISOLAMENTO E SOLIDÃO

France_Riviera_Nice_Watcher

Durante a fase da infância, os homens aprendem que ser macho tem absolutamente nada a ver com expressar suas emoções e fazer amigos. Não é à toa que muitos rapazes saem de casa prematuramente em busca de apoio emocional feminino. Mulheres de fato podem ajudá-los a reconhecer suas próprias aflições, dar carinho e principalmente estímulo para buscar ajuda.

CONCLUSÃO

Oscar-crying

Nas últimas cinco décadas, houve uma série de mudanças significativas na sociedade; a alternância da época pré-guerra até a cultura liberal do pós-guerra; mudanças nos papéis do homem e da mulher e na estrutura da família; reestruturação econômica e o declínio das indústrias tradicionalmente masculinas. Os efeitos colaterais destes processos não ocorreram de maneira igual por toda a sociedade: eles representam um desafio principalmente para homens de meia-idade, e um fardo ainda mais pesado quando eles ocupam baixas posições socioeconômicas. Em outras palavras, são pessoas que veem seus empregos, relacionamentos e identidade como homem desaparecerem. Homens que sofrem riscos diversos, combinados e interagindo de maneira perigosa, ligados ao suicídio.

E aí, o que você pensa sobre isso?

Comentários